sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Sim à vida.

video

A paróquia de Casa Forte disponibilizará um ônibus que sairá às 8h da manhã da frente da igreja.

Informações: 3268-0647

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Fotos da Noite Bíblica


A Noite Bíblica foi maravilhosa, apesar da pequena quantidade de pessoas.
O professor Willy fez um resumo do Livro do Êxodo, começando pelos doze filhos de Jacó.

Fizemos uma verdadeira viagem de volta ao passado: Vimos José no Egito, pegamos na sandália de Moisés, caminhamos no deserto como Povo de Deus(ainda hoje caminhamos em direção à terra prometida), bebemos daquela água que antes era amarga e passou a ser doce após Moisés colocar as plantas; Comemos do pão que veio do céu, ajudamos Aarão e Ur a segurar a mão de Moisés para que Josué e seus guerreiros vencessem a guerra contra os Amalecitas; bebemos da água que saiu da rocha, onde Moisés bateu com o seu cajado; Ficamos com Séfora e os filhos de Moisés, enquanto Jetro conversava com ele.

Foi tudo simplesmente belo...









segunda-feira, 26 de setembro de 2011

NOITE BÍBLICA


NOITE BÍBLICA

Venha participar conosco de uma noite maravilhosa onde faremos uma caminhada pelo deserto, aprendendo um pouco mais sobre a Bíblia.

Data: 27/09/2011 – terça-feira

Local: Salão Paroquial – Paróquia do Sagrado Coração de Jesus – Casa Forte

Endereço: Praça de Casa Forte

Horário: 20h

APROFUNDAR A FÉ PARA EVANGELIZAR MELHOR!

sábado, 24 de setembro de 2011

Temas do Mês da Bíblia de 1971 a 2011

01) 1971 Bíblia, Jesus Cristo está aqui
02) 1972 Deus acredita em você
03) 1973 Deus continua acreditando em você
04) 1974 Bíblia, muito mais nova do que você pensa
05) 1975 Bíblia, palavra nossa de cada dia
06) 1976 Bíblia, Deus caminhando com a gente
07) 1977 Com a Bíblia em nosso lar, nossa vida vai mudar
08) 1978 Como encontrar justiça e paz? O livro de Amós
09) 1979 Bíblia, o livro da criação - Gn 1-11
10) 1980 Buscamos uma nova terra - História de José do Egito
11) 1981 Que todos tenham vida! - Carta aberta de Tiago
12) 1982 Que sabedoria é esta? - As Parábolas
13) 1983 Esperança de um povo que luta - O apocalipse de São João
14) 1984 O caminho pela Palavra - Os atos dos Apóstolos
15) 1985 Rute, uma história da Bíblia - Livro de Rute
16) 1986 Bíblia, livro da Aliança - Êxodo 19-24
17) 1987 Homem de Deus, homem do povo - profeta Elias
18) 1988 Salmos, a oração do povo que luta - O livro dos Salmos
19) 1989 Jesus: palavra e pão - Evangelho de João, cap 6
20) 1990 Mulheres celebrando a libertação
21) 1991 Paulo, trabalhador e evangelizador - Vida e viagens de Paulo
22) 1992 Jeremias, profeta desde jovem - Livro de Jeremias
23) 1993 A força do povo peregrino sem lar, sem terra - 1ª Carta de Pedro
24) 1994 Cântico: uma poesia de amor – Cântico dos Cânticos
25) 1995 Com Jesus na contramão - o Evangelho de Marcos
26) 1996 Jó, o povo sofredor - Livro de Jó
27) 1997 Curso Bíblico Popular - Evangelho de Marcos
28) 1998 Curso Bíblico Popular - Evangelho de Lucas
29) 1999 Curso Bíblico Popular - Evangelho de Mateus
30) 2000 Curso Bíblico Evangelho segundo João: luz para as Comunidades
31) 2001 Curso Bíblico Atos dos Apóstolos, capítulos de 1 a 15
32) 2002 Curso Bíblico Atos dos Apóstolos, capítulos 16 a 28
33) 2003 Curso Bíblico Popular - Cartas de Pedro
34) 2004 Curso Bíblico Popular - Oséias e Mateus
35) 2005 Curso Bíblico Popular - Uma releitura do II e III Isaías
36) 2006 Come teu pão com alegria - Eclesiastes
37) 2007 Deus viu tudo o que tinha feito: e era muito bom - Gênesis
38) 2008 A Caridade sustenta a Comunidade - Primeira Carta aos Coríntios
39) 2009 A alegria de servir no amor e na gratuidade - Carta aos Filipenses
40) 2010 Levanta-te e vai à grande cidade - Introdução ao estudo do profeta Jonas
41) 2011 Travessia: passo a passo, o caminho se faz (Ex 15,22-18,27) com o lema “Aproximai-vos do Senhor” (Ex 16,9)
Louvamos e agradecemos a Deus por estes 40 anos de compreensão, vivência e anúncio da Palavra de Deus. Deixemo-nos guiar pelo Espírito Santo para podermos cada vez mais amá-La (cf. Verbum Domini, 5)
Fonte: SAB - http://www.paulinas.org.br

sábado, 17 de setembro de 2011

Celebração final


Este material foi produzido pelo professor João Luiz Correia Jr. que nasceu em Recife, Pe, em 1957. Mestre e doutor em Teologia, com concentração na área bíblica. Leciona atualmente na Universidade Católica de Pernanbuco - UNICAP - como professor adjunto e pesquisador do Departamento de Teologia e Ciências da Religião. Faz parte, também, do CEBI (Centro de Estudos Bíblicos).

CELEBREMOS A DEUS POR SUAS MARAVILHAS EM FAVOR DO SEU POVO

Ex 18,1-12

1 Jetro, sacerdote de Madiã e sogro de Moisés, ficou sabendo de tudo o que Javé havia feito com Moisés e com seu próprio povo Israel: como Javé havia retirado Israel do Egito. 2 Quando Moisés mandou sua mulher Séfora de volta, Jetro, sogro de Moisés, recebeu-a 3 junto com os dois filhos. Um deles se chamava Gérson, porque Moisés dissera: «Sou imigrante em terra estrangeira». 4 O outro se chamava Eliezer, porque: «o Deus de meu pai é minha ajuda e me libertou da espada do Faraó». 5 Acompanhado da mulher e filhos de Moisés, Jetro foi encontrar-se com ele no deserto onde estava acampado, junto à montanha de Deus. 6 Informaram a Moisés: «Sua mulher e seus dois filhos estãojuntamente com seu sogro Jetro». 7 Moisés saiu para receber o sogro, inclinou-se diante dele e o abraçou. Os dois se cumprimentaram e entraram na tenda. 8 Moisés contou ao sogro tudo o que Javé tinha feito ao Faraó e aos egípcios, por causa dos israelitas. Contou também as dificuldades que tinham enfrentado pelo caminho e das quais Javé os havia libertado. 9 Jetro ficou alegre por todos os benefícios que Javé tinha feito a Israel, libertando-o do poder egípcio. 10 E disse: «Seja bendito Javé, que libertou vocês do poder dos egípcios e do Faraó. Ele arrancou este povo do poder do Egito. 11 Agora eu sei que Javé é o maior de todos os deuses, pois quando eles tratavam vocês com arrogância, Javé libertou o povo do domínio egípcio». 12 Depois, Jetro, sogro de Moisés, ofereceu a Deus um holocausto e sacrifícios. Aarão e todos os anciãos de Israel foram e fizeram a refeição com ele na presença de Deus.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Quarto encontro

A AUTORIDADE DE COMO SERVIÇO. AUTORIDADE: COMUNHÃO E PARTICIPAÇÃO

Ex 18,13-27

Mc 10,41-45

13 No dia seguinte, Moisés sentou-se para resolver os assuntos do povo. Ora, o povo procurava por ele desde o amanhecer até à noite. 14 O sogro de Moisés viu tudo o que este fazia pelo povo, e lhe disse: «O que é que você está fazendo com o povo? Por que está sentado sozinho, enquanto todo o povo o procura de manhã até a noite15 Moisés respondeu ao sogro: «O povo me procura para que eu consulte a Deus. 16 Quando eles têm alguma questão para resolver, me procuram para que eu a resolva e para que eu explique os estatutos e as leis de Deus». 17 O sogro de Moisés replicou: «Mas o

41 Quando os outros dez discípulos ouviram isso, começaram a ficar com raiva de Tiago e João. 42 Jesus chamou-os e disse: «Vocês sabem: aqueles que se dizem governadores das nações têm poder sobre elas, e os seus dirigentes têm autoridade sobre elas. 43 Mas, entre vocês não deverá ser assim: quem de vocês quiser ser grande, deve tornar-se o servidor de vocês, 44 e quem de vocês quiser ser o primeiro, deverá tornar-se o servo de todos. 45 Porque o Filho do Homem não veio para ser servido. Ele veio para servir e para dar a sua vida como resgate em favor de muitos

que você está fazendo não está certo. 18 Você está matando, tanto a si mesmo como ao povo que o acompanha. É uma tarefa muito pesada, e você não pode fazê-la sozinho. 19 Aceite meu conselho, para que Deus esteja com você: represente o povo diante de Deus e apresente junto de Deus as causas dele. 20 Ensine a eles os estatutos e as leis; faça que eles conheçam o caminho a seguir e as ações que devem praticar. 21 Escolha entre o povo homens capazes e tementes a Deus, que sejam seguros e inimigos do suborno: estabeleça-os como chefes de mil, de cem, de cinqüenta e de dez. 22 Eles administrarão regularmente a justiça para o povo: os assuntos graves, eles trarão a você; os assuntos simples, eles próprios resolverão. Desse modo, vocês repartirão a tarefa, e você poderá realizar a sua parte. 23 Se você fizer assim e Deus lhe der as instruções, você poderá suportar a tarefa, e o povo voltará para casa em paz».

24 Moisés aceitou o conselho do sogro e fez o que ele havia dito. 25 Escolheu em Israel homens capazes e os colocou como chefes do povo: chefes de mil, de cem, de cinqüenta e de dez. 26 Eles administravam regularmente a justiça para o povo: os assuntos complicados, eles passavam para Moisés; e os simples, eles próprios resolviam. 27 Depois, Moisés despediu-se do sogro, e este voltou para sua terra.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Terceiro encontro

DEUS ESTÁ EM NOSSO MEIO OU NÃO? “POR QUE PONDES O SENHOR À PROVA?”

Ex 17,1-7

1Cor 10,1-13

1 Toda a comunidade de Israel partiu do deserto de Sin para as etapas seguintes, conforme a ordem de Javé, e acamparam em Rafidim, onde o povo não encontrou água para beber. 2 Então o povo discutiu com Moisés, dizendo: «-nos água para beber». Moisés respondeu: «Por que vocês discutem comigo e colocam Javé à prova3 Mas o povo tinha sede e murmurou contra Moisés, dizendo: «Por que você nos tirou do Egito? Foi para matar de sede a nós, nossos filhos e nossos animais4 Então Moisés clamou a Javé, dizendo: «O que vou fazer com esse povo? Estão quase me apedrejando5 Javé respondeu a Moisés: «Passe à frente do povo e tome com você alguns anciãos de Israel; leve com você a vara com que feriu o rio Nilo; e caminhe. 6 Eu vou esperar você junto à rocha de Horeb. Você baterá na rocha, e dela sairá água para o povo beber». Moisés assim fez na presença dos anciãos de Israel, 7 e deu a esse lugar o nome de Massa e Meriba, por causa da discussão dos filhos de Israel e porque puseram Javé à prova, dizendo: «Javé está no meio de nós, ou não

1 Irmãos, não quero que vocês ignorem uma coisa: todos os nossos antepassados estiveram sob a nuvem; todos atravessaram o mar 2 e, na nuvem e no mar, todos receberam um batismo que os ligava a Moisés. 3 Todos comeram o mesmo alimento espiritual, 4 e todos beberam a mesma bebida espiritual, pois bebiam de uma rocha espiritual que os acompanhava; e essa rocha era Cristo. 5 Apesar disso, a maioria deles não agradou a Deus, e caíram mortos no deserto.

6 Ora, esses fatos aconteceram como exemplo para nós, para que não cobicemos coisas más, como eles cobiçaram. 7 Não se tornem idólatras, como alguns deles, conforme está na Escritura: «O povo sentou-se para comer e beber; depois se levantaram para se divertir». 8 Nem nos entreguemos à imoralidade, como alguns deles se entregaram, de modo que num só dia morreram vinte e três mil. 9 Não tentemos ao Senhor, como alguns deles tentaram, e morreram vitimados pelas serpentes. 10 Não murmurem, como alguns deles murmuraram, e pereceram em mãos do anjo exterminador.

11 Tais coisas aconteceram a eles como exemplo, e foram escritas para nossa instrução, a nós que vivemos no fim dos tempos. 12 Portanto, aquele que julga estar em , tome cuidado para não cair. 13 Vocês não foram tentados além do que podiam suportar, porque Deus é fiel e não permitirá que sejam tentados acima das forças que vocês têm. Mas, junto com a tentação, ele dará a vocês os meios de sair dela e a força para suportá-la.